Boaventura Monjane doutorou-se em Pós-colonialismos e Cidadania Glob- al na Faculdade de Economia/Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, Portugal. É pesquisador de pós-doutoramento, hospedado pelo Insti- tute for Poverty Land and Agrarian Studies (PLAAS, University of the Western Cape) e pelo Centro de Estudos Africanos (CEA, Universidade Eduardo Mond- lane). É membro do Grupo de Pesquisa Internacional sobre Autoritarismo e Contra-Estratégias da Fundação Rosa Luxemburgo. Foi recentemente conce- dido a prestigiosa bolsa Open Society Fellowship para o ano de 2021. É membro fundador e Director do colectivo Alternactiva – Acção pela Emancipacão Social.

Boaventura Monjane is a fellow at the International Research Group on Authoritarianism and Counter-strategies of the Rosa Luxemburg Foundation, based at the Institute for Poverty, Land and Agrarian Studies at the University of the Western Cape and the Centre for Social Studies, Eduardo Mondlane University. His PhD thesis (Centre for Social Studies, University of Coimbra) is about the agency of Agrarian Movements and their political response to Agrarian Neoliberalism in Southern Africa. Régio Conrado is a PhD student in Political Science at SciencesPo Bordeaux (University of Bordeaux). His PhD is about  the State formation, power expansion in rural areas and  politicisation of public services in Post-colonial societies in Africa. His also  assistant lecturer in Political Science and African Politics. Researcher at Les Afriques dans le Monde (LAM)- SciencesPo Bordeaux and Associate researcher at African Center Studies of Leiden.

Showing all 2 results

  • Select options This product has multiple variants. The options may be chosen on the product page

    Aporias de Moçambique pós-colonial: Estado, Sociedade e Capital

    Moçambique celebrou, em Junho de 2020, 45 anos de sua independência. Os ganhos e avanços que o país alcançou nesta quase meia década de independência são inegáveis, mas os desafios que subsistem são muitos. Este livro reflecte sobre Moçambique contemporâneo nos seus vários aspectos, destacando a formação e o papel do Estado, a democracia, a participação dos cidadãos, a política económica e social e o desenvolvimento. Como se pode ver, o livro não é temático e oferece diversas perspectivas de autores e autoras que se dedicam à investigação, ao jornalismo e ao activismo. O livro pretende exactamente oferecer uma leitura do país a partir dos olhos daqueles que não ocupam uma posição de poder mas que vivem, experienciam e lêem a realidade do país a partir de uma perspectiva crítica da sociedade.
    O objectivo deste livro é dar uma melhor compreensão do que tem sido o processo de independência em Moçambique e porque é que o país pós-colonial ainda é ‘colonial’ na sua estrutura política e económica. Assim, são dados muitos exemplos para dar ao leitor a possibilidade de confrontar as perspectivas teóricas aqui utilizadas com os casos concretos.
    Todos os estudos deste livro mostram que quarenta e cinco anos de independência não foram vividos da mesma forma pelas elites que governam o país e pelas populações que vivem sob o seu domínio. Por um lado, as elites no poder e os seus parentes beneficiaram, e ainda beneficiam, dos recursos do país, enquanto que uma grande parte da população continua à espera das promessas da independência. De um ponto de vista político e económico, os estudos que compõem o livro destacam como o “desenvolvimento” em Moçambique tem estado em contradição com as necessidades do país. Significa que o actual modelo de desenvolvimento responde muito mais ao capital internacional do que à transformação social de Moçambique.

    USD $ 20.00
    Select options This product has multiple variants. The options may be chosen on the product page
  • We Rise for Our Land: Land Struggles and Repression in Southern Africa
    Select options This product has multiple variants. The options may be chosen on the product page

    We Rise for Our Land: Land Struggles and Repression in Southern Africa

    In recent years southern Africa has aroused the interest of domestic and foreign investors targeting several sectors. Agrarian and extractive capital has been penetrating the countryside, causing land conflicts, displacement of local peasant communities and in worse cases, deaths. Rural people in general have not, been passive—alone or in alliance with non-governmental organizations and activists, they have organized raised their voices. Resistance movements to capital are taking place throughout the region, even when faced with repression. The book provides critical assessments of the dynamics of agrarian and extractive capital in southern Africa: with contributions from DRC, Namibia, Zambia, Malawi, Zimbabwe, Swaziland, Mozambique, Mauritius and Madagascar.

    Select options This product has multiple variants. The options may be chosen on the product page